segunda-feira, 25 de maio de 2009

M80



Aborrecem-me os saudosismos os revivalismos dos 70´s, 80´s, a que se seguirão os 90´s.

Porquê dar hoje mais valor a uma musica só porque marcou um tempo?

Marcou, então deve lá ficar e ser lembrada, aproveitada, mas não como se o tempo devesse ter parado nela.

São as festas, os concertos e até rádios para os da minha geração relembrarem o que provavelmente nunca viveram.

Os e-mails a apelar à lágrima e à frase : "antes é que era", expondo a alegria de mascar pastilha elástica de boca aberta, andar à porrada, jogar com a bola de "catchu", jogar ao mata e ao espeta, não falam de quando as crianças tinham outros brinquedos como as construções Meccano, os piões com um prego na ponta ou as bolas de trapos.

Parecem igualmente esquecer-se que hoje as crianças também jogam futebol, brigam e testam os limites dos pais como sempre todos fizemos.

As sucessivas gerações vivem a sua infância, adolescência, idade adulta e velhice de forma diferente, quer seja devido às condições sociais do seu tempo, ao conhecimento adquirido, à educação ou falta dela.

Logicamente que gosto dos jogos como os tetris ou o cubo mágico, dos livrinhos de banda desenhada a que nos habituámos a chamar de "gibis", de bandas como os Roxy Music, mas estes também se reinventaram, evoluiram numa nova direcção.

Porquê parar num tempo, quando este, todos os dias renovado, tanto nos oferece?

Agora juizinho e não se metam nos shots e depois digam às mamãs que foram com o Nino!

1 comentário:

  1. Vai mas é ver o novo videoclip de mais uma banda de Almada.

    ResponderEliminar